Saucha, compromisso com a purificação.

Saucha é um dos cinco nyamas que Patanjali descreve em seus Sutras, e se refere à pureza. Para se aprofundar em uma vida de yoga, o yogui incorpora conduta e valores (yamas e nyamas) naturalmente na sua rotina. Saucha nos convida a estabelecer um compromisso com nos mesmos, e contempla a purificação do nosso corpo físico, mental e espiritual.

A limpeza e a purificação não se restringem apenas a higiene diária. Escovar os dentes, tomar banho, lavar as mãos, roupa lavada e casa limpa já fazem parte da rotina do ser humano, nos afastando de doenças e ajudando a manter a saúde em dia.

Nos tratados do Hatha Yoga são descritos shatkarmas (técnicas de limpeza) que auxiliam na purificação do corpo físico, através da limpeza das vias aéreas, do estomago, do intestino, dos olhos e da boca.

Os exercícios físicos, praticados com regularidade além de trazerem bem estar, purificam nosso corpo.

No Yoga, está é a função dos asanas, que trabalham não só o corpo físico, como também o corpo sutil, através da capacitação e condução de energia.

A purificação se expressa também na forma de uma alimentação saudável.

Nossa alimentação está muito ligada ao paladar, que por sua vez está ligado ao desejo. É muito importante termos o controle dos nossos sentidos, pois por vezes escolhemos o que é prazeroso, e negligenciamos os venenos e toxinas que introduzimos no nosso corpo.

Uma alimentação balanceada com frutas, legumes, raízes, hortaliças, grãos e sementes são essenciais. Dieta pobre nesses grupos alimentares, a base de carne e produtos industrializados, ajudam o corpo a produzir mais toxina. Com mais toxina, absorvemos menos nutrientes.

Temos que fazer dos alimentos que ingerimos, a nossa medicina. E dessa forma, atuarmos mais na manutenção de uma boa saúde, consumindo de maneira consciente.

Mas, Saucha vai além de tudo que foi dito até agora.

Saucha contempla a purificação da mente.

Precisamos selecionar aquilo que entra pelos nossos sentidos da visão e da audição, e o que nossa fala transmite, seja através da música que escolhemos ouvir,  do filme que assistimos, dos programas  na televisão e das conversas que participamos.

O que os sentidos da visão e da audição captam, criam e alimentam conexões cerebrais em nossa psique, impressões que ficam gravadas em nosso inconsciente, e podem se manifestar de maneira positiva ou negativa, de acordo com a emoção relacionada aquele fato. Temos que ser muito responsáveis e cuidadosos com nossa fala. Todas as palavras que dizemos, tem força e atinge de alguma forma o ouvinte.

Muitas vezes estamos condicionados a agir de determinada maneira, principalmente quando nossa mente está distraída. É neste momento que as impressões gravadas na psique conduzem nossos atos, e agimos por impulso.

Se permanecermos atentos e conscientes, as impressões não assumem o comando das nossas ações.

Uma mente distraída é uma mente cheia de estímulo, cansada e que não consegue encontrar equanimidade e discernimento para perceber as coisas como elas realmente são, e a partir de então agir.

É preciso purificar os pensamentos, para podermos enxergar quem somos e nos desindentificar com a imagem que criamos de nós. Um homem distraído vê apenas a projeção de si mesmo, não aquilo que realmente é. Distrações psicológicas e sensoriais nos afastam desse encontro.

Por isso a meditação é muito importante para o ser humano. Ela ajuda a assentar esta poeira mental, e dar espaço a consciência, trazendo a tona nossa essência, que nos ajudará a fazer escolhas baseadas em viveka, palavra em sânscrito que significa discernimento.

A escolha de meditar e olhar para dentro, pode ser no inicio uma tarefa agonizante. Podemos não gostar muito do que enxergamos, e nos assustar. O caminho da meditação tem como maior obstáculo nossos próprios pensamentos. E o segredo para se manter numa prática constante de meditação é aprender a não se identificar com eles. Apenas observe-os, e irá perceber que eles vêm e vão, com formas e conteúdos diferentes.

Muitas pessoas recolhem-se em retiros de tempos em tempos, para purificar o corpo-mente. Praticam voto de silêncio. Ficam dias sem qualquer contato com o externo. Isso é muito válido. E este contato com o serenidade pode ser alcançado bem mais perto do que imaginamos.

Durante uma pausa no nosso dia a dia, dez minutos de olhos fechados e em silêncio, já produz resultados benéficos. Fazer caminhadas junto à natureza, em silêncio, apenas contemplando, nos harmoniza. Contemplar a natureza é contemplar a ordem natural da vida. É enxergar Isvara em tudo. Não somos diferentes. Também somos cíclicos e sofremos com a interferência externa.

Fuja das vibrações baixas, das conversas inoportunas, das musicas e filmes agressivos.

Desligue a televisão e escolha um bom livro para ler.

Cultive amizades sadias.

Traga a consciência para os seus atos.

Observe as palavras que saem de sua boca.

Compreenda essas purificações no corpo e em seguida o coração também é purificado. Quando o coração está puro, você está sempre feliz.

A concentração da mente vem automaticamente sem mesmo você perceber.

Seja puro em pensamento, palavras e atos.

É desta maneira que Saucha se apresenta.

Sattvashuddhi saumanasyaikagryendriyajayatmadarshana yogyatvani ca.

“ E além do mais, são ganhos da pureza de sattva, contentamento da mente, acuidade, domínio dos sentidos e aptidão para a auto-realização”

Sutra 41 – Capítulo Dois, Patanjali

Namastê

Melissa Loretto

Deixe seu comentário