CORRIDA É MANTRA

Mantras são sons, silabas, palavras ou frases que são entoadas ou mentalizadas repetidas vezes até exaustão. Seu objetivo prático (além de toda mística envolvida), é basicamente induzir um estado mental específico devido a monotonia das repetições daquelas palavras, o que conduz o praticante a um estado neurofisiológico de meditação.
.

O cérebro é composto por bilhões de células que geram pequenas corrente elétricas que emanam ondas eletromagnéticas, ou ondas cerebrais que se alteram devido aos diferentes estados de consciências. Se você está em vigília, agitado – suas ondas cerebrais serão de altas frequências (Beta), se está relaxado… meditando mas em alerta – certamente suas ondas cerebrais serão um pouco mais baixas (Alfa), se conseguiu entrar em relaxamento profundo – você atingiu as ondas cerebrais com frequências ainda mais baixas (Teta). Oscilamos o tempo todo entre essas frequências dependendo do nosso estado de consciência (concentração, relaxamento, meditação, etc).
.

O primeiro estudo controlado utilizando EEG (eletroencefalograma) e mantras foi feito por Fenwick em 1960 em que analisou as respostas cerebrais de participantes após 30 minutos de prática com mantras. Os resultados apontaram um aumento na amplitude da onda alfa no inicio da meditação e um grande aumento das ondas teta nas fases posteriores (frequências meditativas – relaxamento)
.

E a corrida com isso?
.

Então… durante a corrida ocorre a mesma coisa! =]
.

Os movimentos naturais da corrida, realizados de forma repetitiva, funcionam como um mantra… fazendo com que nosso cérebro oscile de ondas cerebrais com frequências altas para frequências mais baixas. Portanto, assim como um mantra, quanto maior o tempo de exposição ( quanto maior a distância percorrida) mais facilmente o atleta tem a capacidade de desfrutar da meditação ativa e transitar entre frequências cerebrais cada vez mais baixas e atingir um estado alterado de consciência.
.

Schneider e colaboradores (2010) investigaram o impacto da corrida nas funções cerebrais de 22 corredores utilizando EEG. Os participantes foram submetidos a um teste incremental de esteira até a exaustão voluntária, e posteriormente avaliados pelo eletroencefalograma. Os resultados apontaram um aumento das ondas alfas e uma diminuição da atividade do córtex pré frontal, que é responsável pela hiper vigilância, atenção, super avaliação, separação “eu x ambiente” ( neste momento o corredor não é capaz de julgar ou fazer super avaliações – está inteiro – entregue), exatamente o que ocorre quando meditamos sentados!!
.

Portanto, corrida é mantra no sentido de induzir a um estado meditativo. Se você nunca sentiu isso (não sabe o que está perdendo), experimente sair da esteira da sua academia, correr ao ar livre, de preferência em meio a natureza, esqueça seu ritmo, seu relógio, sua foto no instagram, e deixe também de olhar o amigo da frente como seu adversário: Talvez assim, você consiga curtir seu próprio mantra.

.

Com amor

Valéria Duarte Garcia.

.

Referências:

Fenwick, P. (1960). Computer analysis of the EEG during mantra meditation. Paper presented at conference on the effects of meditation, concentration and attention on the EEG. University of Marseilles.

Schneider et al (2010) Brain and exercise: a first approach using electrotomography, Med Sci Sport Exerc.

Arne Dietrich ( 2003) Functional neuroanatomy of altered states of consciousness: The transient  hypofrontality hypothesis. Consciousness and Cognition

Deixe seu comentário