Músicas para praticar

Ouvir músicas durante a prática de āsanas do Yoga é totalmente opcional, alguns professores discriminam e outros realmente não conseguem ensinar sem elas, não existe uma regra. Alguns professores dizem que a música tráz dispersão do foco, já outros dizem que a música estabelece uma conexão ainda maior consigo mesmo, despertando o sutil.

Da mesma maneira acontece com os praticantes, alguns ficam entediados com o silêncio, preferindo o mesmo só para a meditação, acreditam que a música embala a prática e os deixa mais concentrados. Há também o outro grupo que prefere o silêncio absoluto para reflexão do EU.

Algumas práticas como o Ashtanga Vinyasa Yoga são praticadas sem música, a respiração Ujjayī se transforma em um mantra interno de concentração. Já outras como o Power Yoga ou Vinyasa embora utilizem da mesma respiração acontecem ao embalo de músicas, kirtans e mantras.

Para os adeptos a prática de Yoga com música uma seleção de nomes para que possa inspirá-los:

– The Best of Wah!
– Deva Premal
– Deva Premal e Miten
– Krishna Das
– Jai Uttal
– Snatam Kaur
– Donna De Lory
– Ratnabali
– Craig Pruess
– Krucis
– Ravi Shankar
– Anoushka Shankar
– Buddhist Chants & Peace Music
– Sandro Shankara
– Ananda Jyoti
– Tomaz Lima
– Namasté

*PS – Se lembrar de mais alguem me envie, vou adorar acrescentar a essa lista!

Boas práticas! Descubra, anime-se e aproveite!
Aperte o play!

Namaste

Por Patrícia de Abreu Burgo

7 Responses to “Músicas para praticar”

  1. katia hennemann

    Recomendo um cd Spiritual Guide do Acústico Dama…vale a pena….sao mantras conhecidos como Gayatri mas com uma interpretação diferente…muito recomendo. Conheço a dupla…

    Responder
  2. Wonderful website. Plenty of useful information here. I’m sending it to some friends ans also sharing in delicious. And certainly, thanks for your effort.

    Responder
  3. Pelo amor de deus, é “tráZ disperSão”. E mesmo assim, na minha opinião, ou você tem foco ou não tem, não existe “foco disperso”. Se a mente vagueia, você PERDEU o foco, ele não ficou “disperso.”

    Responder

Deixe seu comentário