Mente sã, corpo são

corposao“Deve-se pedir em oração que a mente seja sã num corpo são.“ Esse trecho de uma citação de origem latina em que o autor sugere o que o ser humano deve desejar em sua existência deu origem à expressão “mente sã, corpo são”. A expressão, atualmente usada como representação de saúde física e mental, é uma boa forma de analisar a complementaridade do corpo e da mente.

Dentro da perspectiva do Yoga sobre o corpo humano, identificamos a presença de três corpos: corpo físico, corpo sutil e corpo causal. Esses corpos estão superpostos e, portanto, a modificação em um dos corpos altera o estado dos demais.

O corpo físico é o nosso corpo denso, materializado, o mais fácil de visualizar, formado pelas nossas células, que compõem órgãos, ossos, músculos, líquidos corporais e compostos pelos cinco elementos: terra, água, fogo, ar, espaço. O corpo sutil é menos visível, dificultando nossa percepção. É formado pela energia sutil (chamada prāṇā) que circula por canais energéticos (chamados nadis), e por todo o nosso conteúdo mental, englobando mente, intelecto e ego. O corpo causal é o corpo que dá origem aos demais e que carrega os nossos karmas, resultados de ações anteriores. Toda ação que fazemos, gera resultados visíveis e invisíveis que ficam “armazenados” no corpo causal.

A prática de Tantra Yoga, que é a origem de todas as práticas de Yoga atuais, tem como objetivo tirar o melhor proveito dessa integração entre os corpos. Partindo desse princípio, os prāṇāyāmas são respiratórios que influenciam os três corpos. Atuam no corpo físico, melhorando a capacidade cardiorrespiratória, ampliando a região torácica e melhorando a postura. Prāṇāyāma significa expansão do prāṇā, a energia vital, atuando no corpo sutil na movimentação de prāṇā pelos canais. E, como conseqüência trazendo um movimento diferente para a mente que pode ser tranqüilidade, relaxamento, atividade, mudanças que te predispõem a entrar em um estado meditativo. Se você observar a sua respiração ao longo do dia, verá que ela se altera de acordo com as emoções. Da mesma forma, ao realizar os prāṇāyāmas de forma atenta, verá que ele tem um efeito imediato na mente. Essa é uma forma simples de observar a complementaridade dos corpos.

Da mesma forma, o āsanas (posturas físicas) que normalmente são vinculados aos benefícios no corpo físico como aumento da força ou da flexibilidade, também atuam no corpo sutil com a modificação na circulação do prāṇā, e conseqüente alteração no estado mental.

Estando os nossos três corpos interligados, cada uma de nossas ações altera todos os corpos. As ações são realizadas pelo corpo físico e seus órgãos de ação, mas também tem resultado nos outros corpos. Somos alimentados pelos cinco sentidos através dos cinco órgãos de ação, traduzindo em alimento não apenas o que comemos, mas o que vemos, ouvimos, entramos em contato e cheiramos. Tudo o que nos alimenta, a qualidade de cada um desses alimentos, influencia os demais corpos e traz benefícios diretos à mente: o tipo de música que ouvimos, o ambiente que freqüentamos, o alimento que ingerimos, tudo o que assistimos. Os yogues conhecem bem o funcionamento desses corpos e por isso prezam por se alimentar do que de fato nutre: comidas saudáveis, músicas, imagens e sons que tragam harmonia para a mente. E assim, conquistam um corpo e mente preparados, tranqüilos, ativos e relaxados o suficiente para contemplar a sua realidade livre e completa, esse de fato o objetivo do Yoga.

Sabendo disso, o movimento contrário também é realizado pelos yogues. Entrar em contato com essa mente, enxergar os padrões que ela carrega e quebrar padrões autodestrutivos, também influencia a saúde do corpo físico. Quanto mais aquietamos a nossa mente, respeitando o seu funcionamento e acolhendo os próprios limites, maior tendência ao equilíbrio físico teremos. Fugindo de qualquer regra de comportamento, quanto mais conhecemos o comportamento da mente, mais bom senso teremos nas nossas escolhas, equilibrando as mudanças que queremos fazer com as mudanças possíveis com a mente que temos. A lembrança de que nenhuma mente é defeituosa e que de fato ela é limitada nos liberta da necessidade da mudança, e de quebra nos dá a motivação para aprender a gerenciar melhor esse instrumento. Esse gerenciamento de quem somos – mente, emoções, ego, intelecto – localizados no corpo sutil traz saúde para o corpo físico.

Isso nos faz compreender porque a vida de Yoga traz uma série de práticas alinhadas e complementares. É comum observar alguém que inicie o seu caminho no Yoga mudar a alimentação, os lugares que freqüenta, os hábitos, inserindo rotinas, agindo ativamente através do corpo, refletindo na mente em um ganho de espaço interno necessário para o entendimento de si mesmo. Sabendo disso, reafirmo o mesmo conselho dado há muitos anos atrás: Peça em oração uma mente sã num corpo são!

Por Carina Uchoas

Satya Yoga

One Response to “Mente sã, corpo são”

  1. — Nossos resultados nao sao apenas uma lembranca da enorme complexidade da quimica do coracao e de sua fisiologia, mas tambem um otimo exemplo da capacidade de uma unica proteina agir em multiplas frentes e afetar muitos orgaos e funcoes — afirmou o coordenador da pesquisa, Ning Feng, cardiologista da Escola Medica da universidade.

    Responder

Deixe seu comentário