O mantra e a Mente

“A tranquilidade da mente vem de uma atitude de simpatia, compaixão, satisfação e paciência com relação a situações de alegria e sofrimento, mérito e demérito, respectivamente”. 1.33 Yoga Sutras – Patañjali

É incrível perceber o efeito da música em nossa psique. Como musicoterapeuta tive vários testemunhos incríveis de como a música expressa algo latente ou adormecido da nossa personalidade, assim revelando conteúdos ocultos e libertando-nos para uma vida desperta. Trazer o Mantra Yoga para este contexto significa colocar uma pitada de desconhecido e assim entrar em um continente que não pode ser medido por cientistas, teorizado por musicólogos e avaliado por psicólogos.

Como comprovaremos o poder embutido no magnetismo do mantra? Nossa única ferramenta de compreensão vem da experimentação desta prática.

Sabemos que o espaço do mantra e do kirtan (repetição de nomes sagrados) é uma prática ancestral na Índia e que nunca caiu em desuso, muito pelo contrário: atualmente permeia todo o globo, tornando-se cada vez mais viva e popular.

A grande indagação é: Como cantar em um idioma desconhecido (sânscrito), que não nos remete diretamente a um significado (situação, sentimento, etc), nos faz entrar em contato com sentimentos profundos?

Solfejar melodias exóticas (ragas) nos transmite diferentes estados de humor (rasa), como: atitude de alegria e anseio por qualidades elevadas (raga Jhinjhoti), despertar de qualidades amorosas, graça, beleza e anseio profundo por Deus (raga Jivanpuri), felicidade e força imutável, grande coragem, abundância e pulsão de vida (Raga Dhani).

Tais questionamentos podem ser saneados com o simples fato de permitir deixar que o exercício desta prática milenar nos toque profundamente, transformando-nos interiormente para um desabrochar exterior. Através deste mergulho introspectivo, atingimos um espaço onde a mente ainda não tem poder para decodificar seus estímulos e passa ao indivíduo um papel passivo, de uma pessoa que recebe uma massagem terapêutica. Deixemos que a prática do Mantra Yoga arrebate nossa mente como a energia inexplicável do que o amor faz: algo sem resposta, sem entendimento e sem o qual não podemos viver.

Por Sandro Shankara
Publicado originalmente no Música Indiana Brasil

Deixe seu comentário