Simbolismo de Ganesha

Ganesha é a deidade mais reverenciada na Índia, ele é sempre o primeiro a ser reverenciado para qualquer coisa que a gente faça porque ele é o senhor dos obstáculos. Ele sempre está na porta de todos os templos e na porta das casas dos hindus como o protetor (ele é aquele que protegia Parvati… vigiando a porta).

Ele é considerado o primeiro filho de Shiva na forma do Todo, da realidade suprema. Ganesha é aquele que nasceu da realidade suprema.

Nomes de Ganesha:
Ganesha – senhor de todos os seres, senhor das multidões
Ganapati- senhor de todos os seres, senhor das multidões
Ekadanta- Aquele que tem uma presa só
Vighneshara- Senhor dos obstáculos.
Gajanana- cara de elefante

Iconografia:
O primeiro passo no caminho do autoconhecimento é escutar o ensinamento, por isso ele tem essas 2 orelhas grandes, as quais demonstram que ele escutou muito. O segundo passo é refletir sobre esse ensinamento, por isso essa cabeça enorme. A tromba representa a discriminação porque consegue pegar os objetos pequenos e para pegar os objetos grandes.

As presas representam os pares de opostos, porque na vida o ser humano está sempre tendo que escolher. E o sábio é aquela pessoa que não é afetada pelos pares de opostos e por isso Ganesha tem uma presa quebrada.

Ganesha representa aquela força que remove os obstáculos. O machado corta e o laço amarra os obstáculos. Ganesha representa também Ishvara, sua barriga grande representa todo Universo. A barriga de Ganesha simboliza que ele engoliu e digeriu todo o conhecimento e esse conhecimento se tornou parte dele, virou a barriga. Representa também que o sábio digere as situações de forma lenta e moderada.

Os quatro braços representam os instrumentos internos o ego, a memória, manas e budhi. O machado representa vairagya, porque corta todos os apegos e desejos que nos tiram do nosso estado de paz. O machado corta também os obstáculos. A corda representa bhakti, a devoção. Que eu possa então ter amarrado na minha vida a relação com Ishvara, que sou eu mesmo. Que eu esteja amarrado na minha verdadeira natureza. Representa também aquele que além de cortar, amarra os obstáculos.

O doce representa as alegrias que a gente adquire no caminho do autoconhecimento, e, como um doce, a gente come um e já quer outro. O caminho não é sofrido, como o carregar de uma cruz, o caminho para a liberdade é doce e apreciativo.

Ganesha tem um pé no chão e outro no ar. Simboliza que o sábio vive no mundo como qualquer outra pessoa normalmente. O pé no chão é a parte que esta lidando com o mundo e o pé que esta no ar simboliza a conexão com o Ser. O sábio é aquele que vive no mundo sem perder a visão do Todo. O termo memória de elefante é isso, ele jamais esquece da sua verdadeira natureza.

O rato simboliza os desejos, o rato é um animal voraz que come de tudo, sempre come demais e guarda tudo nos buracos, como a mente que sempre deseja algo e nunca se sacia. O ratinho sempre aparece aos pés de Ganesha e olhando pra ele segurando um doce como se pedisse uma autorização para levar o doce, isso quer dizer que o sábio tem os desejos ao seus pés e sob seu comando. O sábio come os docinhos, mas existe um comando sobre os desejos. Dizem que os elefantes tem medo do rato, mas Ganesha tem ele sob seu comando. Os desejos não são para ser temidos, é para ter um comando sob eles.

No dia do aniversário de Ganesha é proibido olhar para a lua. O simbolismo por trás disso é que um dia Ganesha estava cavalgando o seu ratinho por aí. E a lua viu e caiu na risada ao ver um garoto grande com cabeça de elefante carregado por um pequenino ratinho. Então os deuses castigaram a lua por isso dizendo que não se pode olhar para a lua no dia de Ganesha. A lua preside a mente. Isso simboliza o ignorante sorrindo do sábio. O sábio tem uma sabedoria infinita em um corpo finito. E muitas pessoas não entendem as ações do sábio e as suas palavras.

No dia do nascimento de Ganesha deve-se olhar para o Ser e tirar a atenção do ser. O aniversário de Ganesha simboliza o nascimento do sábio, aquele que reconheceu-se como o Ser.

Uma historinha de Ganesha:
Ganesha foi para uma festa e comeu tudo, toda comida, a decoração, os presentes, comeu tudo e nada saciava a sua fome. Shiva, seu pai, chega com todo carinho e dá uma porção de arroz torrado pra ele e sacia a sua fome. Isso simboliza que o sábio precisa queimar suas tendências e o arroz tostado é como as tendências queimadas, não germina mais. É preciso queimar essas tendências no fogo do conhecimento e ter o reconhecimento de que nada material vai saciar nossos desejos, pois eles são infinitos. Ganesha comeu tudo o que desejava e o desejo permanecia. Apenas quando ele, na presença de Shiva, o Todo, reconheceu a sua verdadeira natureza é que a busca exterior como meio de encontrar a felicidade se desfez. E quando isso acontece, os desejos são ferramentas de ação no mundo e não uma força que te leva a ação desenfreada-mente.

Texto baseado em aulas de Patrick van Lammeren e Marília, do Centro de Estudos Vidya Mandir.

Compilado e contado por Tales Nunes
Publicado originalmente no site Vida de Yoga

Deixe seu comentário