Yoga para correr

Yoga é o complemento perfeito para melhorar o rendimento da corrida e conquistar mais força, flexibilidade e foco. Quem corre sabe das dificuldades que enfrenta para conseguir se superar…

Os músculos, as articulações, a respiração, a concentração e até a mente se tornam aliados ou inimigos. “Alinhando posturas corretamente, a corredora melhora a pisada, o ritmo e diminui incômodas dores causadas pelo desequilíbrio do corpo – alongando os músculos que estão tensos e fortalecendo os que estão fracos. O YOGA PROPORCIONA MELHOR RENDIMENTO, POIS CONSEGUE UNIR TREINAMENTO AO CORRETO ALINHAMENTO DO CORPO EM TODOS OS NÍVEIS”, ensina Aulus Sellmer, diretor-técnico da assessoria esportiva 4any1.

Marcello Butenas, diretor da Butenas Assessoria Multiesportiva, acrescenta que o Yoga complementa a corrida nos aspectos físico e mental. “A PRÁTICA MELHORA A CONCENTRAÇÃO NA EXECUÇÃO DO MOVIMENTO DA CORRIDA, QUE VEM DO DESENVOLVIMENTO DO AUTOCONHECIMENTO, além de melhorar o alongamento e a flexibilidade da praticante”, comenta Butenas, que corre há mais 25 anos e começou a praticar Yoga há cinco para melhorar a flexibilidade e, assim, ter mais desempenho em provas e treinos. Segundo a professora de anusara Yoga Greta Hill, a atividade ajuda os corredores a se alinharem para que não tenham tantos problemas. “Yoga é uma feramenta que ajuda a evitar e curar lesões enquanto realinha e equilibra o corpo”, diz.

Do mat para a vida
A tradutora e professora de Yoga Edy Angely Pegoretti, 39, corre há mais de dez anos e começou a praticar Yoga há oito: “Corro desde pequena, adorava apostar corrida com amigos, mas só decidi treinar sério aos 30. A PRÁTICA COMPLEMENTA OS TREINOS, e corri uma maratona repleta de ladeiras, sem desanimar, por causa do que a gente leva do mat, o tapetinho de Yoga, para a vida”.

Kathy Lobos, professora de Yoga da academia Fórmula e do estúdio Yoga Flow, alia treinos de corrida à prática de Yoga e no último Circuito Vênus, por exemplo, deu aulas de Vinyasa Flow Yoga no sábado e correu 10 km no domingo. “Equilíbrio mental é fundamental para qualquer atividade e, na corrida, não é diferente. Se você estiver com pensamentos negativos, o tempo custa a passar e o corpo cansa antes do fim da prova”, comenta.

A força exercida em uma pisada é quatro vezes o seu peso e músculos alongados de forma ineficiente podem, no mínimo, atrapalhar o desempenho. “O YOGA AJUDA A TER UMA passada MAIS EFICAZ. QUANDO A MUSCULATURA ESTÁ RELAXADA, OS MOVIMENTOS SÃO MAIS EFICIENTES E O GASTO DE ENERGIA É MENOR. Quanto mais tensa, mais esforço será preciso para se movimentar”, explica Marcos Rojo, educador físico e yogi.

O médico Fábio Caporrino, ortopedista e professor no curso de Yoga no estúdio Yoga Shivalaya, explica que o alongamento é essencial para manter o equilíbrio. “É PRECISO QUE EXISTA UM meio termo ENTRE FORÇA E FLEXIBILIDADE PARA QUE OS MÚSCULOS TRABALHEM EM 100% DE SEU RENDIMENTO. Isso permite uma reserva maior de glicogênio, o que faz com que o organismo metabolize melhor o ácido lático [responsável pelas dores do dia seguinte ao exercício]. A flexibilidade adequada também diminui a pressão nas articulações durante a corrida.”

Outro ponto importante: os movimentos da corrida, por não serem muito amplos, podem provocar encurtamento nos músculos, prejudicando o desempenho da corredora e gerando dores. “Quando começamos a praticar um exercício, ocorre uma hipertrofia, pois o volume de sangue aumenta em 20% no músculo que está sendo trabalhado. Esse aumento de volume pode pressionar tendões e nervos e causar dores. O alongamento vai melhorar essa pressão, prevenindo a corredora de sofrer de dores causadas por ela”, argumenta Caporrino.

O professor Rojo explica que se alongar deve ser uma ação não apenas antes de uma prova. “QUANDO O MÚSCULO É MAIS ELÁSTICO, RESPONDE DE UMA FORMA MAIS EFICIENTE AO ESFORÇO. SE ESTÁ TENSO E A CORREDORA PRECISA FAZER UM MOVIMENTO RÁPIDO, PODE OCORRER UMA LESÃO, POIS não existe ELASTICIDADE SUFICIENTE PARA CEDER E DEPOIS VOLTAR À POSIÇÃO NORMAL”, complementou.

Mais foco para o treino
Nem só de alongamentos se faz uma prática de Yoga. “As posturas trabalham grupos musculares, proteção das articulações, exercícios respiratórios e meditação – e deixam corpo e mente equilibrados. Afinal, nas provas mais longas, o psicológico também está correndo”, diz Edy Angely.

“Tenho observado que, muitas vezes, as pessoas correm sem sentir o corpo, sem perceber a pisada, a respiração, a posição dos ombros, enfim, sem estar presente. O Yoga ensina a trazer esse foco para o momento atual, e assim, a corrida pode se transformar em uma meditação ativa, em que o foco é a respiração”, diz Kathy.

Para conseguir os benefícios da prática, o Yoga deve ser feito com prazer, assim como a corrida: “Não se imponha algo em que você não tenha interesse ou curiosidade, pois aquilo que poderia ser de grande ajuda pode se tornar desagradável”, salienta Butenas. Já Rojo reforça que, além da prática com um professor, a corredora deve fazer um trabalho constante para a flexibilidade. “As esportistas podem fazer exercícios de alongamento ou Yoga de 20 a 30 minutos por dia para se manter longe de lesões”. Compense o impacto A corrida pode encurtar músculos por causa dos movimentos repetitivos. Alie o Yoga à prática e conquiste força, flexibilidade e melhora na respiração e concentração.

Por: Thays Biasetti
Publicado originalmente na Revista W Run

Deixe seu comentário