|| Guru Vandanam, a Saudação aos Mestres ||

śrutiḥ smṛtiḥ purāṇānām ālayaṁ karuṇālayam |

namāmi bhagavadpādaṁ śaṅkarāṁ lokaśaṅkaram || 1 ||

śaṅkarāṁ śaṅkarāchāryaṁ keśavaṁ bādarāyaṇam |
sūtrabhāṣya kṛtau vande bhagavantau punaḥ punaḥ || 2 ||

īśvarogururātmeti mūrttibheda vibhāgine |
vyomavad-vyāpta dehāya dakṣiṇāmūrttaye namaḥ || 3 ||

Contexto.

Este ensinamento tem um fluxo contínuo de mestre para estudante, que por sua vez se torna um professor para seus estudantes. Esse fluxo ininterrompido, junto com o método de transmissão do ensinamento forma o paramparā. Esse método é uma forma de revelar uma visão.

Não é uma filosofia nem uma teologia, mas uma forma de resolver um problema aparente mas que em verdade não existe. É muito importante reconhecer que este é um método de ensinamento que requer a presença de um professor, da mesma maneira que você não pode se tornar um psicoterapeuta apenas lendo livros sobre terapia.

Estrofe 1.

O elo que nos conecta com essa tradição é chamado Ādi Śaṅkarāchārya. É sobre ele que fala o mantra. Śaṅkara nos conecta com a fonte do conhecimento. O corpo de conhecimento é o Veda, chamado aqui Śruti. A Gītā e as Purāṇas, onde ele também está presente, são chamadas conjuntamente Smṛti.

Essas três coleções de ensinamento, o Veda, a Gītā e as Purāṇas, estão simbolicamente representados por Śaṅkara: śrutiḥ smṛtiḥ purāṇānām ālayaṁ. Śaṅkara é considerado o altar da compaixão, karuṇālayam.

Śaṅkara escreveu comentários sobre as dez principais Upaniṣads, sobre a Gītā e deu outras importantes contribuições. O mantra diz namāmi bhagavadpādaṁ śaṅkarāṁ lokaśaṅkaram. Bhagavadpāda é o nome do mestre de Śaṅkara.

É por isso que às vezes ele é chamado Śaṅkarabhagavadpāda. Lokaśaṅkaram significa que Śaṅkara é aquele que traz o que é auspicioso para o mundo. Este é um verso muito bonito que nos conecta com esse mestre especial.

Estrofe 2.

Vyāsa, chamado aqui nesta estrofe de Bādarāyaṇa, foi um elo especial dentro do paramparā. Ele foi inspirado por Viṣṇu, aludido pelo nome Keśava neste verso, e nos legou o Brahmasūtra. Sūtra é um estilo de escrita altamente sucinto, que ensina muito através de poucas palavras.

O Brahmasūtra é também chamado Vedāntasūtra. Há diversos comentários do Brahmasūtra. Um bhāṣya é o comentário de um sūtra. Tika é o comentário do comentário. Depois há outros adendos, chamados tipānis, que são comentários dos comentários, ou notas aos comentários.

Śaṅkara escreveu o sūtrabhāṣya, o comentário do Brahmasūtra. A minha saudação, vande, repetidas vezes, punaḥ punaḥ, a esses três, Viṣṇu, Vyāsa e Śaṅkara.

Estrofe 3.

īśvarogururātmeti mūrttibheda vibhāgine | vyomavad-vyāpta dehāya dakṣiṇāmūrttaye namaḥ: minha saudação a Dakṣinamūrti. Dakṣinamūrti significa “aquele que olha para o sul”. Pois, quando você está desnorteado, procura o norte, e lá está Śiva.

Este Dakṣinamūrti se apresenta na forma de três manifestações, īśvarogururātmeti: Īśvara, o guru e Ātma. Mūrttibheda vibhāgine, aparentemente é três, mas é só um em realidade. Aquele que aparentemente é dividido, como o espaço, mas que está em todos os lugares ao mesmo tempo: vyomavad-vyāpta dehāya.

Por Pedro Kupfer
Publicado originalmente no Yoga.pro

Deixe seu comentário